Vida de Freelancer

Aqui, quem manda sou eu.

Não que eu tenha isto em mente, mas a título de curiosidade fui contar os anos. Mais precisamente, 5 anos, sem patrão. Chefe. Director… o nome que quiserem dar a quem temos de prestar contas no trabalho. Não foi a decisão que eu queria na altura, ou pelo menos julgava eu não estar preparada para me virar sozinha. Mas depois de um chefe mauzinho, um patrão ainda pior e uma carta de despedimento, tive mesmo de me virar sozinha. Arranjei um chefe melhor e, um patrão como eu — promovi-me a tal.

Hoje, sou o que sou, porque o destino assim me cruzou. Virei-me. Sozinha, com ajuda, e com sonhos. Se era para trabalhar para mim, que fosse por mim. E, por vezes, temos de nos lembrar disto, é por nós. Porque queremos ser independentes, porque queremos fazer o que realmente gostamos, por isso, façamos. Podemos escolher o que queremos, e o que não queremos fazer.

Agora, não vamos ter ilusões, é tudo mais trabalhoso, mais intenso e muito mais emocional. Afinal, estamos a vestir a pele do patrão, do trabalhador, do contabilista, do account e por aí fora. Trabalhamos mais, fazemos mais também e, por mim falo, tenho muito mais orgulho agora nas minhas conquistas e no trabalho que tenho vindo a construir. Não interessa se o nosso 100% é menor que outros, o que interessa é que trabalhamos por nós, por isso, é o nosso empenho e a nossa personalidade que fazem o factor único nos nossos serviços. Podemos ter uma marca com um grande nome, ou não, mas o objectivo é trabalharem connosco, pessoas com pessoas. Sonhos com histórias e sucessos. O resto acontece.

Hard work. Better life.

 

1 comentário
Artigo Anterior
26 Abril, 2017
Artigo Seguinte
26 Abril, 2017

1 comentário

  • Freelancing, no Dia Digital do Factory Braga com Filipa Simões de Freitas

    […] Perante os desafios que temos pela frente, cada um de nós reage à sua maneira. Por isso, o método de como eu abordo, por exemplo um cliente, não tem de ser um método igual para outros freelancers. Cabe a cada um de nós arranjar os seus meios e mecanismos de organização de modo a ter a capacidade de gerir o seu próprio trabalho. Não há uma fórmula que eu possa dizer em como organizar o dia da melhor maneira, para, por exemplo, conseguir responder aos emails todos num dia. Não há fórmulas universais, mas sim mecanismos, rotinas nossas, que implementamos e fazemos à nossa medida. […]

Deixar comentário

Instagram

  • Não pego no Instagram faz tempo que as últimas fotos que tenho ou são, ainda das férias, ou das escolas primárias que a mais velha já correu esta semana! O que vale diz que o verão vem aí outra vez 🤣 ☀️ e parece que as férias continuam #soquenao 🤣
  • Hello Friday, from here I stand, tomorrow is a working day ✊🏻 A Base vai estar cheia. E eu voltei a editar as fotos que estavam aqui na lista de espera, de um dia olhar para elas para quando eu precisasse de boa recordações 😉✈️📷 #travelphotographer #travelphotograpy #windowboxes #lifeisbeautiful
  • Este ano aprendi muita coisa sobre algo tão simples e tão bom! Deixei de comer grade parte e quando como, é do bom! Meu rico pão! 😉 #iscopaoevinho @iscopaoevinho
  • Poem about work! Estava aqui guardado para um mês especial. Setembro parece-me o ideal 😅 @modern_society_london #poemaboutwork #coffee #london #freelancerlife
  • Eu sobrevivi ao 1° dia de escola primária. Preparei uma lancheira pela primeira vez. Fiz um trajecto diferente de manhã. Só liguei duas vezes para a escola durante o dia. Por ela foi na boa, só teve de encher o estojo com todas as canetas e lápis antes de sair. #bickidsportugal @bic__kids
  • Estou na expectativa de mais banhos de mar neste setembro 😏 E de um verão prolongando... Será? #banhodemarcuratudo #salty #saltyskin #tattoo #tattooideas #taniacatclaw

Follow Me!